Solenidade celebra os 100 anos da Fundação Osório

Solenidade celebra os 100 anos da Fundação Osório

A Fundação Osório, instituição de ensino vinculada ao Comando do Exército por delegação do Ministério da Defesa, completou, no dia 1º de junho, 100 anos de existência. Para marcar a data, foram realizados, com as devidas restrições,  dois eventos comemorativos.

No dia 31 de maio, houve o lacre da cápsula do tempo e cultos religiosos. Já no dia 1º de junho, por meio de uma solenidade cívico-militar, foi realizado o içamento do pavilhão nacional, o lançamento do selo comemorativo ao centenário, a inauguração da placa comemorativa, além da entrega da medalha Centenário Fundação Osório. Na oportunidade, entre os 62 agraciados com a condecoração, estavam o antigo Comandante do Exército, General de Exército Enzo Martins Peri; o Comandante Militar do Leste, General de Exército José Eduardo Pereira; o Chefe do Departamento de Educação e Cultura do Exército (DECEx), General de Exército André Luis Novaes Miranda, entre outras autoridades.

“Os 100 anos dessa instituição representam uma história de superação, desprendimento e muito trabalho de uma equipe de professores, funcionários, amigos e parceiros que têm, ao longo desses anos, se dedicado à causa nobre de formar, educar e até profissionalizar os nossos alunos e todos aqueles que por aqui passaram. A cápsula do tempo é fruto da ideia de um de nossos professores. É resultado do grande orgulho que todos nós temos do trabalho que executamos. Além disso, entregamos a todos aqueles amigos, parceiros e instituições que têm nos ajudado muito, especialmente o Exército Brasileiro, uma comenda inédita criada para esta oportunidade: a medalha Fundação Osório”, explicou o Presidente da Fundação Osório, Coronel Luiz Sérgio Melucci Salgueiro.

Localizada no bairro Rio Comprido, no Rio de Janeiro, a escola atende a mais de 900 alunos, instruindo e educando desde os primeiros anos escolares até o ensino médio e profissionalizante. Sua característica é assistencial e tem sua razão de ser nos filhos e filhas de militares, órfãos e não-órfãos, que necessitam de assistência.

A Fundação Osório
As primeiras ideias sobre a criação da Fundação Osório remontam ao ano de 1907, quando três oficiais encarregados dos festejos do centenário de nascimento do Marechal Osório apresentaram, também, a necessidade de se criar um orfanato para a educação das filhas órfãs de militares de mar e de terra falecidos na Guerra do Paraguai, à semelhança do que já se fizera em relação aos meninos, para os quais fora criado o Imperial Colégio Militar do Rio de Janeiro (CMRJ), em 1889.

Os oficiais eram o Tenente-Coronel Jônatas de Mello Barreto, o Tenente-Coronel Antônio José Dias de Oliveira e o Capitão José Feliciano Lobo Viana, que buscaram o apoio do Marechal Mallet, filho do patrono da Artilharia, e do Ministro da Guerra da época, o Marechal Hermes da Fonseca. A ideia gerou grande entusiasmo.

Em 1921, foi sancionado Decreto Legislativo que autorizava o Poder Executivo a criar o orfanato pretendido, o que ocorreu pelo Decreto 14.856, de 1º de junho. Em 1926, já com nome de Fundação Osório e com autonomia, a instituição ganhou uma sede. A partir de 1993, a Fundação, que era exclusivamente destinada a meninas, passou a admitir, também, alunos do sexo masculino. A Lei n° 9026, de 10 de abril de 1995, vinculou-a ao Exército, por intermédio do qual tem consignados, no orçamento da União, recursos para seu custeio e sua manutenção.

(CCOMSEX/FM)

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *