Time Brasil terá mais sete militares nas Olimpíadas de Tóquio

Time Brasil terá mais sete militares nas Olimpíadas de Tóquio

Mais sete atletas militares carimbaram o passaporte para as Olimpíadas de Tóquio. De 19 a 24 de abril, a Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos (CBDA) promoveu seletiva para classificação de atletas. O evento ocorreu no Parque Aquático Maria Lenk, no Rio de Janeiro, e contou com a participação de 98 nadadores, sendo 37 integrantes do Programa Atletas de Alto Rendimento (PAAR) das Forças Armadas. Desses atletas militares, sete obtiveram classificação.

O atleta da Marinha sargento Guilherme Costa destacou-se na competição. Na sua primeira participação em Olimpíadas, o militar foi selecionado para representar o Brasil em três provas individuais: 400, 800 e 1.500 metros nado livre.

Guilherme Costa.jpg

A sargento do Exército Betina Lorscheitter classificou-se para a prova de 1.500 metros nado livre, e a representação feminina poderá aumentar, pois mais duas sargentos, Maria Pessanha, do Exército, e Viviane Jungblut, da Aeronáutica, participarão de seletivas em 12 de junho.

Betina  Lorscheitter.PNG
O terceiro sargento da Aeronáutica, Gabriel Santos viveu fortes emoções durante a seletiva. Após não se classificar para a final da prova dos 100 metros nado livre, na quinta-feira (22), teve a oportunidade de cair na piscina novamente no sábado (24), garantindo vaga para competir nos 100 metros nado livre e no revezamento 4×100 metros nado livre. A caminho de sua segunda participação em Olimpíadas, o atleta agradeceu o apoio da Aeronáutica e declarou gostar dos momentos de pressão, pois lhe permitem alcançar melhores resultados.

Gabriel Santos.PNG

Vagas garantidas
Os militares atletas de natação já classificados para a Olimpíada de Tóquio são:

Marinha: Luiz Altamir Melo, revezamento 4×200 metros nado livre; e Guilherme Costa, 400, 800 e 1.500 metros nado livre.

Exército: Guilherme Basseto, 100 metros nado costas e revezamento 4×100 metros medley; Fernando Scheffer, revezamento 4×200 metros nado livre; e  Betina Lorscheitter, 1.500 metros nado livre.

Aeronáutica: Gabriel Santos, 100 metros nado livre e revezamento 4×100 metros nado livre; Pedro Spajari, 100 metros nado livre, revezamento 4×100 metros nado livre e revezamento 4×100 metros medley.

O Brasil ainda aguarda a definição das quatro vagas da repescagem nos revezamentos, quando mais militares poderão garantir vaga nos jogos.

Participação expressiva
Com a classificação dos sete nadadores, o Departamento de Desporto Militar do Ministério da Defesa passa a contar com 52 militares atletas no Time Brasil, que participarão de 15 das 46 modalidades esportivas. Isso equivale a 25 %, o total de 208 atletas que já conquistaram vaga para os Jogos Olímpicos de Tóquio. O evento ocorre de 23 de julho a 8 de agosto.

Nos Jogos Pan-Americanos, que ocorreram em 2019, em Lima, no Peru, os militares atletas das Forças Armadas conquistaram 54,39% do total de medalhas que o Brasil ganhou. Competiram em Lima, pelo Time Brasil, 485 atletas. Desses, 138 eram integrantes do PAAR.

Nos Jogos Olímpicos Rio 2016, o Ministério da Defesa ultrapassou as metas estabelecidas, ao classificar 145 militares atletas para integrarem as seleções olímpicas e conquistar 13 medalhas, das 19 obtidas pelo Time Brasil.

PAAR
O Programa de Atletas de Alto Rendimento (PAAR) foi criado em 2008 pelo Ministério da Defesa em parceria com o então Ministério do Esporte. A iniciativa contribui para fortalecer a equipe militar brasileira em eventos esportivos de alto nível.
As atividades ocorrem em consonância com a atuação estratégica do Comitê Olímpico Brasileiro (COB), de confederações e clubes aos quais os atletas do Programa pertencem.

Os militares atletas que integram o PAAR têm à disposição todos os benefícios da carreira direito à assistência médica, incluindo nutricionista e fisioterapeuta, além de disporem das instalações esportivas militares adequadas para treinamento, como o Centro de Educação Física Almirante Adalberto Nunes (CEFAN), da Marinha, o Centro de Capacitação Física do Exército e Complexo Esportivo de Deodoro, do Exército, e a (Universidade da Força Aérea (UNIFA), da Aeronáutica.

Confira o resultado completo da seletiva: https://cbda.org.br/cbda/natacao/evento/34670/seletiva-olimpica-brasileira-toquio-2020-2021

Por Soraya Brandão, com informações do Departamento de Desporto Militar do Ministério da Defesa

Fotos: Satiro Sodré /SSPress/CDBA

(MD ASCOM/FM)

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *