Wagner visita Comando-Geral de Operações Aéreas e se diz orgulhoso com “a paixão dos militares” pelo ofício

Wagner visita Comando-Geral de Operações Aéreas e se diz orgulhoso com “a paixão dos militares” pelo ofício

Brasília, 11/03/2015 – Após conhecer de perto o trabalho das Forças Armadas em três situações diferentes, o ministro da Defesa, Jaques Wagner, destacou a importância dos militares para o desenvolvimento do país. Nas últimas semanas, o ministro esteve no Estaleiro e Base Naval, em Itaguaí (RJ); no Pelotão Especial de Selva (PEF), em Maturacá, na floresta amazônica; e, no dia 11 de março, no Comando-Geral de Operações Aéreas (Comgar), em Brasília, órgão que congrega o Comando de Defesa Aeroespacial (Comdabra) e os quatro Centros Integrados de Defesa Aérea e Controle de Tráfego Aéreo (Cindacta).

O Brasil conta com quatro unidades do Cindacta – Brasília, Manaus, Recife e Curitiba.
O Brasil conta com quatro unidades do Cindacta – Brasília, Manaus, Recife e Curitiba.

“É motivo de orgulho constatar a paixão dos militares pelo que fazem e a luta para melhorar os meios. Ninguém governa sem saber o que está governando”, afirmou Wagner ao explicar que nos últimos dias dedicou-se em ampliar seu leque de informações sobre a Marinha, o Exército e a Aeronáutica.

Ao concluir a visita às unidades da Aeronáutica, o ministro mostrou-se surpreso com as atividades desenvolvidas pelos dois centros. “Nós que viajamos muito de avião não sabemos a dimensão do trabalho daqueles que estão garantindo a segurança dos voos,” destacou.

Espaço aéreo

Jaques Wagner iniciou a visita pelo Centro Conjunto de Operações Aéreas (CCOA). O prédio, construído no ano passado, é um dos legados da Copa do Mundo Fifa 2014. Ou seja, as obras e a infraestrutura do lugar foram feitas para que a unidade operasse durante a competição da Fifa e agora tem seu uso destinado às ações de controle do espaço aéreo.

Força Aérea Brasileira exerce o controle do espaço aéreo do país numa área equivalente a 22 milhões de km².
Força Aérea Brasileira exerce o controle do espaço aéreo do país numa área equivalente a 22 milhões de km².

 Na companhia do comandante da Aeronáutica, brigadeiro Nivaldo Rossato, do chefe do Estado-Maior Conjunto das forças Armadas (EMCFA), general José Carlos De Nardi, e da secretaria-geral do MD, Eva Maria Chiavon, o ministro assistiu à exposição dos brigadeiros Gerson Machado de Oliveira, chefe do Comando Geral de Operações Aéreas (Comgar), e Antônio Carlos Egito do Amaral, do Comdabra.

Segundo o brigadeiro Machado, a Força Aérea Brasileira (FAB) exerce o controle do espaço aéreo do país numa área equivalente a 22 milhões de km². Para isso, o Brasil conta com quatro unidades do Cindacta – Brasília, Manaus, Recife e Curitiba. Wagner assistiu à palestra sobre a legislação de abate de aeronaves, explicando a operação desde a abordagem até a destruição do avião.

Depois, o ministro e auxiliares estiveram no Cindacta I, onde receberam explicações do brigadeiro Leônidas de Araújo Medeiros Junior. Jaques Wagner encerrou a visita com um breve discurso no qual enalteceu a dedicação dos profissionais das Forças Armadas. “Digo que os militares sempre buscam agregar a paixão pelo que fazem. De servir ao país. Isso é muito importante”, afirmou.

Comgar

O Comando-Geral de Operações Aéreas é o “braço armado” do Comando da Aeronáutica. Ele é o responsável pelo preparo e emprego da Força. O Comgar detém os principais meios aéreos e, em consequência, responsabiliza-se pela execução das ações militares aeroespaciais do Comando da Aeronáutica. Esta unidade tem a função de comandar, planejar, direcionar, fiscalizar, coordenar, executar e avaliar o emprego de todas as unidades da FAB.

Na estrutura do Comgar estão o Comdabra – atuando a partir de Brasília – e os quatro CINDACTA.

Foto: Jorge Cardoso

(MD ASCOM/ FM)

 

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *